segunda-feira, fevereiro 26, 2024
Home » Erisipela: a doença que atinge Bolsonaro e fez com que o presidente fosse alvo de fake

Erisipela: a doença que atinge Bolsonaro e fez com que o presidente fosse alvo de fake

por Fernando Beteti

Após o vereador Carlos Bolsonaro publicar uma foto mostrando a perna de seu pai, o presidente Jair Bolsonaro, com erisipela, mensagens com fake news envolvendo a publicação circularam pelos aplicativos de mensagem e redes sociais.

Carlos publicou no Telegram uma foto da perna com erisipela, acompanhada da legenda: “A erisipela desenvolvida na perna do meu pai. Foto tirada de poucos dias atrás. Fui informado de que nesta fase já estava em processo de recuperação e tudo corre muito bem”.

Perna de Jair Bolsonaro com erisipela. Foto: Reprodução

As mensagens falsas que passaram a circular afirmavam que Carlos utilizou a imagem de uma campanha antitabagismo para simular os efeitos da erisipela na perna de Bolsonaro, o que não é verdade. Afinal, todas as imagens usadas atualmente na campanha estão na página da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância). É possível verificar que a foto postada por Carlos Bolsonaro não está entre elas.

A erisipela, de acordo com o Ministério da Saúde, ocorre devido a um processo infeccioso da pele. Ele pode atingir a gordura do tecido celular, causado por uma bactéria que se propaga pelos vasos linfáticos.

Quando o paciente é tratado logo no início da doença, as complicações não são tão evidentes ou graves. No entanto, os casos não tratados a tempo podem progredir com abscessos, ulcerações (feridas) superficiais ou profundas e trombose de veias. A sequela mais comum, conforme o Ministério da Saúde, é o linfedema. Ou seja,  o inchaço persistente e duro localizado principalmente na perna e no tornozelo, resultante dos surtos repetidos de erisipela.

Tratamento:

O tratamento geralmente combina várias medidas realizadas ao mesmo tempo e determinadas pelo médico. Isso inclui uso de antibióticos específicos para eliminar a bactéria causadora; redução do inchaço, fazendo repouso absoluto com as pernas elevadas, principalmente na fase inicial. Pode ser necessário o enfaixamento da perna para que desinche mais rapidamente; fechamento da porta de entrada da bactéria, tratando as lesões de pele e as frieiras; limpeza adequada da pele, eliminando o ambiente propício para o crescimento das bactérias; uso de medicação de apoio, como anti-inflamatórios, antifebris, analgésicos e outras que /atuam na circulação linfática e venosa.

Outro grande aliado no tratamento é a Ozonioterapia. Veja detalhes sobre a aplicação do Ozônio contra a doença, na entrevista concedida pelo Dr. Diogo Bonifácio, ao Canal Fernando Beteti.

Foto da capa: Arquivo/Valter Campanato/Agência Brasil

Fernando Beteti

Artigos Relacionados

Deixe seu Comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Seja nosso parceiro!

Fale conosco e tire todas suas dúvidas. Venha fazer parte do maior canal de entrevistas de saúde do Brasil!

Newsletter

    @2023 Fernando Beteti – Todos os Direitos Reservados.